RSS
 

A recomendação de Trump e os jovens

Benedicto Ismael C. Dutra
07/10/2017



Em discurso na ONU, o presidente norte-americano Trump, criador da frase “América na frente”, recomendou: "vocês, líderes de seus países, também devem sempre colocar suas nações à frente."  Mas em Brasília a classe política tem colocado à frente o próprio bolso.
 
Os governantes deveriam se esforçar sempre pelo progresso e aprimoramento de sua população que sempre se une com seriedade em torno dos grandes objetivos. Falta autoconsciência. Como fazer isso de forma equilibrada com aumento da produção, comércio, empregos, renda e consumo? Promovendo a melhora da qualidade humana e sustentabilidade.                                                                                                                        
Pais e professores lidam com o preparo dos jovens. Mas não basta ensinar a ler, escrever e informática. Precisamos de metas que tenham como prioridade o aprimoramento humano e o bem da nação, pois sem isso a decadência prosseguirá desumanizando. Os jovens precisam aprender a pensar com clareza e adquirir raciocínio lúcido, porém, devem estar motivados para a busca do aprimoramento da nossa espécie e da melhora geral das condições de vida no planeta, que agora, além das disparidades econômicas, também enfrenta furacões, terremotos e alterações estranhas nos oceanos, mostrando como somos insignificantes diante da força da natureza.
 
Os homens agem como se fossem pequenos reis, mas são ridículos com a sua arrogância, no entanto são muito perigosos, pois se utilizam de forma errada da capacitação de resolução inerente ao ser humano que deveria se adaptar ao ritmo da vida para ter uma proveitosa estada na sua passagem transitória pelo planeta. Os seres humanos podem decidir, mas sempre ficam atados às consequências de seus atos. 
 
A Terra poderia ser um paraíso de boa convivência e aprendizado. Estamos perdendo a esperança de melhora na convivência e nas condições gerais. As alterações do clima estão em andamento. Tudo influencia: destruição das florestas, poluição do ar, rios e mares. As pessoas estão apreensivas.  O que o relógio do universo quer dizer? 
 
Por que e para que nascemos na Terra? As novas gerações estão perdendo o interesse pela busca do conhecimento da Criação. Qual a causa, por que deixaram de buscar o saber do significado da vida e a razão de estarem vivendo na Terra? O mais importante hoje é que cada um se esforce em viver de acordo com as Leis de Deus a fim de evoluir espiritualmente. Para entender o significado da vida, cada pessoa precisa aprofundar-se no estudo da Mensagem do Graal Na Luz da Verdade para adquirir compreensão do funcionamento das leis da Criação e fortalecer a convicção própria.
 
A intuição se acha soterrada, o conhecimento entra pelo cérebro, mas o que está disponível é de pouca serventia, confuso ou mesmo nocivo para o despertar espiritual. Através dos pensamentos e ações podemos influenciar o mundo dos pensamentos, onde prepondera o erro das falsas concepções, nele introduzindo a clareza haurida em Na Luz da Verdade Mensagem do Graal.
 
As novas gerações precisam ser motivadas para compreender a finalidade da vida, aprimorar-se para se tornarem beneficiadores do mundo, contribuir efetivamente para a melhora das condições gerais da vida. O motivar deveria ser possibilitar ao jovem a conscientização para que surja nele o querer enobrecedor, o que sempre vai depender da vontade do indivíduo.
 
Para que haja vida num planeta ele precisa conter água. A Terra foi dotada de ricos mananciais de água pura e cristalina; cabia ao ser humano compreender como funcionam a natureza e suas leis e edificar em cima disso, mas quis dominar, impor seus desejos e cobiças tendo como resultado escassez, impurezas e contaminação de efeitos ainda desconhecidos.  
 
Grupos se digladiam pelo poder, mas a população indolente vai sendo marginalizada, empurrada para as ladeiras da decadência. O uso do dom de falar deveria ser simples, claro, verdadeiro e construtivo.  Com sua capacitação para formar as coisas, os homens têm empregado as palavras para acobertar suas cobiças. O mundo seria bem melhor se houvesse mais autenticidade e consideração humana. A autenticidade unifica o querer do eu interior, a intuição, com os pensamentos, as palavras e as ações. Enquanto a humanidade não cultivar a Verdade e a autenticidade, miséria e sofrimento estarão na sua trajetória.
 



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.